Estudantes criam pastilha contra o Aedes aegypti

Produto será apresentado ao público em exposição científica nesta terça-feira (19).



Estudantes criam pastilha contra o Aedes aegypti

Com a proposta de combater o Aedes aegypti, que transmite dengue, chikungunya e zika, estudantes da 2ª série do Ensino Médio do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal, desenvolveram uma pastilha natural que serve como inseticida contra a larva do mosquito. O produto será apresentado ao público na próxima terça-feira (19), durante o Painel Científico 2017, promovido pela escola.

Ideal para ralos, a "pastilha anti-dengue" foi produzida no laboratório de Ciências da instituição e passou por um processo de pesquisa, criação, observação e testes que durou cinco meses. Com custo econômico baixo, o experimento tem durabilidade de três a cinco dias e leva em sua composição hipoclorito de sódio, que possui propriedades que contribuem na prevenção da proliferação do pernilongo.

De acordo com o Ministério da Saúde, os recipientes que acumulam água e que estão a céu aberto, se não forem vistoriados com frequência, são possíveis focos do mosquito, o que fortalece ainda mais a importância do trabalho desenvolvido pelos alunos, orientados pelo professor de Química, Robson Correia. "É algo que vem para somar na luta contra o Aedes", afirma.

Além da iniciativa de criar o experimento, chama a atenção a maneira como os adolescentes arrecadaram recursos financeiros para produzi-lo. "Boa parte do dinheiro doado para a pesquisa foi de economias de nossas mesadas. Afinal, pesquisa é um investimento e nossa intenção é ajudar a sociedade", lembra Jorge Eduardo Oliveira, 16 anos.

Evento

A solenidade de abertura do Painel Científico aconteceu nesta segunda-feira (18), no Auditório Madre Francisca Lechner, com a apresentação de alguns dos outros trabalhos que serão apresentados durante o evento. A iniciativa é aberta à comunidade em geral e reúne as pesquisas realizadas no Núcleo de Aprofundamento de Estudos (NAE) do Colégio das Neves. No projeto, os jovens pesquisadores se debruçam sobre os saberes adquiridos em sala de aula e vão a campo realizar as experiências práticas que enfatizam os fundamentos teóricos.

As exposições dos trabalhos acontecem na terça (19) e na quarta (20), das 7h às 12h30, quando serão apresentados os mais de 100 experimentos distribuídos entre o Ensino Médio e Ensino Fundamental, respectivamente, em estandes montados no Estacionamento da escola.