Alimentação saudável tem espaço garantido na escola

Nutricionista dá dicas e orientações de como preparar o lanche das crianças



Alimentação saudável tem espaço garantido na escola

Bolinhos industrializados de chocolate, pacotes de biscoito e sucos de caixinha. Pode soar até como opções bem práticas e nutritivas por causa das embalagens, mas se o objetivo é deixar o lanche do seu filho mais saudável, é hora de repensar as escolhas.

Para a nutricionista e especialista em alimentação infantil, Aline Santos, é necessário estar atento aos hábitos alimentares desde os primeiros meses de vida. “O vínculo com a alimentação é adquirido na fase infantil. Se a criança tem maus hábitos alimentares nesse período, pode levar por toda a vida”, revela.

Aline é nutricionista do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal. Ela é responsável por planejar o cardápio dos alunos que passam o período parcial e integral na escola. Para ela, a apresentação do lanche é fundamental. “A indústria é muito apelativa, sempre usa personagens que atraem as crianças. Aqui nós utilizamos sempre alimentos com cores diversas e formatos diferentes. Elas adoram”.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), o ideal é consumir cinco porções de frutas, hortaliças ou legumes diariamente. A dica é sempre oferecer várias opções. “Os pais podem incluir porções de alimentos que a criança goste, assim ela pode escolher o que comer, e muitas vezes come até um pouco de tudo, o que é ainda melhor”, explica.

É importante também que a escola promova atividades de educação nutricional. “É fundamental a parceria entre família e escola. Os momentos do lanche sempre são feitos de forma lúdica. Estimulando que a criança também aprenda sobre o que está comendo”, completa.

Outro detalhe importante é que o lanche da escola é a rotina da criança: ele está presente em cinco dias da semana, ou seja, na maior parte do tempo da vida dos meninos e meninas. Por isso, é ainda mais importante que a opção por alimentos saudáveis seja prioridade, evitando as guloseimas e os industrializados.

Os pais podem ter um papel importante na educação alimentar dos filhos. Alimentar-se de forma saudável é possível, mas para isso, é necessária uma dedicação diária dos pais e da escola em educar as crianças, para que percebam os benefícios de comer bem.

Para auxiliar as famílias, a especialista reuniu algumas dicas para ajudar na montagem da lancheira.

- Diversificar as opções
É ideal que a lancheira contenha frutas, carboidratos, proteínas e líquido. Assim, a criança irá consumir uma alimentação completa, com os nutrientes necessários para o seu desenvolvimento.

- Lancheira atrativa
Crianças se prendem muito à imagem. É importante que os pais sejam criativos. Podem cortar as frutas em formato de estrelas, bolas, corações, animais. Brincar com as cores é uma ótima pedida para construir uma lancheira que desperte a atração dos pequenos.

- Qualidade dos alimentos

É importante também ficar atentos e utilizar alimentos bem cuidados e limpos, para evitar qualquer tipo de contaminação.

- Higiene das lancheiras

As lancheiras devem ser limpas diariamente, também para evitar que a sujeira se acumule e contamine os alimentos.

- Sempre incluir líquidos

É bom também variar nos líquidos. Sempre incluir a água, para hidratação, e complementar com sucos naturais, chás e água de coco.

O que evitar?

Biscoitos recheados, salgadinhos, bolos industrializados, frituras, doces, sucos de caixa e refrigerantes. São alimentos pobres em nutrientes e ricos em substâncias prejudiciais à saúde. Além disso, viciam o paladar da criança e dificultam na adaptação aos alimentos naturais.