Resgate da cultura popular na XVI Feira de Arte, Cultura e Literatura

O evento promovido pelo Colégio Nossa Senhora das Neves acontece neste sábado (25)



Resgate da cultura popular na XVI Feira de Arte, Cultura e Literatura

Ritmos, danças, muitas cores, fantasias, contos, versos e tradições. Resgatar os costumes para compreender a história, sentindo-se parte da cultura popular, que muitas vezes, acaba se tornando esquecida em meio as diversas tecnologias que permeiam a vida do homem moderno. Com este objetivo, valorizando o que é da terra, é promovida a XVI Feira de Arte, Cultura e Literatura do Colégio Nossa Senhora das Neves, em Natal. O evento, que será realizado neste sábado (25), a partir das 8h, conta com uma programação destinada ao conhecimento, com diversas apresentações paralelas. A entrada é gratuita e aberta à família Neves.

“Despertar o interesse pelas raízes culturais brasileiras é essencial para a percepção social dos nossos alunos. Toda a experiência vivenciada ao longo do trimestre letivo, em que eles estudaram os conteúdos que serão apresentados na Feira, contribuem para a formação não somente acadêmica, mas afetiva das crianças ao entenderem a história do índio ao sertanejo”, explica a coordenadora do Ensino Fundamental I, Eufrásia Medeiros.

A concentração acontecerá às 8h, na quadra do Anexo (próximo ao auditório). Abrindo a Feira de Arte, Cultura e Literatura, às 8h30, no prédio Central, será realizado o Cortejo Cultural com a participação de todas as crianças.

O Cortejo Cultural será puxado pelas turmas do 4º ano, dirigido pela professora de música Érica Andrade, no ritmo do Maracatu. Os instrumentos abê/xequerê e ganzá, que serão utilizados na apresentação, foram confeccionados pelos alunos com materiais recicláveis como garrafas, tampas, latas plásticas e latas de pastilhas. Durante o cortejo cultural, haverá o boi-calenga, perna de pau e alguns professores fantasiados.

Nas apresentações culturais, às 9h, lendas e tradições serão contadas por alunos e professores. As turmas do 5º ano irão dançar o coco de roda e cantar repentes, o grupo teatral formado por professores “Brincantos”, também realizará intervenções artísticas. A Exposição e socialização das descobertas e aprendizagens sobre os temas de pesquisa estudados, será às 10h, nas salas de aulas que estarão decoradas de acordo com cada assunto.

O resgate das brincadeiras e da infância, foi realizado pelos alunos do 1º ano, em que descobriram os brinquedos, espaços de lazer e comidas da época dos avós, desde as bonecas de pano aos pés de lata. “Uma atividade importante, pois trabalha a memória afetiva ao conhecer mais sobre os costumes que formaram os avós. Além disso, há vários aspectos emocionais e cognitivos nas brincadeiras de roda, nos contos e nas lendas”, explica a coordenadora Eufrásia Medeiros. As turmas do 2º ano, apresentarão “Os animais da Mata Atlântica”.

Nesta edição, um dos focos foi a luta dos remanescente indígenas que continuam em busca da remarcação de suas terras e as turmas do 3º ano apresentarão “Indígenas: nossas raízes”. A estiagem na região do Seridó também compõe a Feira, os alunos pesquisaram as dificuldades e as iniciativas promovidas para conviver com a seca, com o tema “Além de torneiras secas”.

Os alunos do 5º “a” realizam uma releitura e apresentação do livro “Extraordinário” e iram apresentar de maneira teatral na sala temática. Os alunos do 5º ano “b,c e d” apresentarão “A África e seu legado para cultura brasileira”. As danças folclóricas, a religiosidade e as brincadeiras da cultura popular também serão destaques na Feira. No encerramento, a música ficará por conta da banda Fulô de Algodão.